terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Amor platónico crónico

Hoje decidi assumir-me, portanto, vamos a isto. Eu sofro de amor platónico crónico. Uma patologia que surge a pessoas que estão há bastante tempo desempregadas da arte de namorar e que por consequente, procuram, inconscientemente, em todas as pessoas que conhecem e/ou desconhecem o grande amor das suas vidas.
[Momento de silêncio]

Bem, deixando a vergonha de lado, retomemos ao tema, a minha realidade trocada por miúdos, resume-se a analisar terreno. Mentiria tanto (mas tanto) se respondesse àquela velha questão "estás solteira há tanto tempo porquê?" com aquela velhinha resposta "Não ando à procura". Não, estou solteira visto que não tenho tido sorte alguma nos meus conhecimentos, nos meus encontros, nas pessoas que têm feito parte da minha vida e naquelas que deveriam ter feito e por acaso do destino, não fizeram. Porém e definitivamente, eu procuro. Vasculho muito, ainda que inconscientemente.Verifico bastante bem se as pessoas que conheço se enquadram naquilo que quero para mim. Esta é a verdade. Não estou a atirar pedras a aviões, nem tampouco desesperada, mas estou mesmo (óbvio que estou) emocionalmente carente. As razões de tudo isto podem resumir-se neste conjunto de premissas extremamente ridículas mas reais:

- Quero muito me voltar a apaixonar fatalmente;
- Estou cansada de ser a solteirona do grupo, a solteirona de sempre que não tem jeito nenhum para dates;
- As minhas vizinhas questionam-me quando irei casar, demasiadas vezes;  
- Vejo cenas românticas a mais;
- Sonho tanto que qualquer dia, escrevo uma novela para a tvi;
- Tendo a criar uma certa tendência para querer formar família;
- A minha mãe quer me ver (bem) casada.

Por outro lado, esta patologia poderá levar-me até à ravina da loucura, conduzir-me-à a caminhos pouco luminosos, como por exemplo, poderei, a qualquer momento, encontrar num bonito e feliz acaso dessa surpreendente vida, o meu grande Amor, mas já sei que irei pensar ser mais uma das minhas confusões e culparei, de imediato, a patologia dos amores platónicos crónicos e deixarei fugir o rapaz.

Sei, na verdade, que comigo o romance não tem pernas para andar, sou um zero à esquerda nestas lides e logicamente, o tempo vai passando e eu cada vez, enferrujo mais.


Resta-me continuar a ter uma imaginação bem fértil, um leque de conhecimentos alargados e uma grande vontade de continuar a gozar comigo mesma e de levar tudo com muito humor.

[Joana, este não era o texto de que te falei ontem ;)]

4 comentários:

  1. Olá Mia. Entendo demasiado bem o que aqui escreves, embora não me dê para os amores platónicos (acho que perdi essa capacidade desde que por vários outros motivos entrei num estado de depressão) mas acho muito positivo porque sempre te permite ir sonhando e mantendo uma certa esperança no futuro. Quem sabe se não será uma boa forma de apelar ao infinito sobre a pessoa ideal para ti?

    ResponderEliminar
  2. Dizem que o amor está ao virar da esquina...pois eu já virei, dobrei um monte delas e príncipes encantados que é bom, nada! Só sapos!Mas sou como tu...uma sonhadora e um dia ainda vou dizer " Ha-ha...eu disse que valia a pena esperar!!" :)

    ResponderEliminar
  3. Vou brincar com a situação, ok?

    Vi num dos teus post's que tinhas 1.80m. Se gostares de homens mais baixos, um pouco tímidos, mas com um bom sentido de humor, eu tenho o homem ideal para ti, só tens de vir ao Alentejo buscá-lo :p

    ResponderEliminar
  4. Não é o texto que me falaste mas olha que também se enquadra na categoria 'Mia abre o seu coração' ;)

    Gostei muito. Fizeste-me rir, fizeste-me ficar triste, fizeste-me reviver a altura em que eu própria sentia isso na pele. Eu diria que isso é uma conjugação de ser sonhadora, ser cautelosa e estar carente, porque se por um lado analisas as pessoas à tua volta à procura do verdadeiro amor (de forma algo sonhadora), por outro também diria que há uma probabilidade menor de ele te escapar entre os dedos porque não reparaste nele (ou seja, estás a ser cautelosa) ;) O que eu digo vale o que vale, mas eu acho que devias manter isso. Sonhar não faz mal, e pelo menos vais estando alerta e preparada (já leste o Segredo? É basicamente isso que eles dizem lá!) :)

    O amor chega quando tem de chegar, e nunca se sabe o que pode acontecer. A sério ;)

    Beijinhos ;)

    ResponderEliminar