sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Real Life

Agora que estou em casa, penso muito na Vida. É inevitável. E sei que deixei de acreditar que o passado pode voltar. No fundo, ainda tenho uma pequenina esperança mas é um sentimento já tão apagado que nem se pode considerar esperança. Conformei-me que foste viver com outra pessoa, que gostas dela e que queres mesmo construir uma Vida feliz. A história que tivemos ficou mal resolvida e sei que, embora goste muito de ti, não é viável sermos sequer amigos. Existiu amor demais para isso, erros demais, confusões a mais, choro a mais, dor a mais.

Quanto a mim, quanto à minha história, queria que fosse como a das princesas, queria muito que o meu príncipe estivesse por aí à minha espera, na vidinha dele, que um dia, se pudesse ser, Senhor do Céu, nós nos conseguissemos encontrar e agarrar para o resto da vida. Porém, eu tenho a certeza absoluta que ainda não evoluí o suficiente, cá dentro, para que o Senhor do Céu faça chegar a mim o meu Conto de Fadas.

Bom, não se passando isso pelo dia de hoje, estou de pijama no sofá e os planos pé-no-chão do dia são sair para ginásio e voltar à rotina da dieta pois ontem a gaja esteve de férias e os chocolates dominaram a meteorologia do dia. Ora aí está outro problema para mim, a minha auto-disciplina.

Bom dia!

2 comentários:

  1. Enquanto à vida há esperança...já estive no "fosso" e hoje estou no "topo" o importante é nunca perder a esperança...

    ResponderEliminar
  2. só falta a força para levantar =)! há momentos desses que são bem difíceis, mas mesmo antes de de te ires abaixo por ele...ou por outro assunto, tens que gostar de ti, lutar por ti!
    *

    ResponderEliminar