terça-feira, 11 de setembro de 2012

O filho de pais separados


Eu sou filha de pais separados. Os meus pais separaram-se aquando dos meus 3 anos de vida. Tento por diversas vezes conceber a minha vida com os meus pais juntos, porém não consigo idealizar, nem tampouco construir essa ideia na minha cabeça. Tal como seria suposto. No entanto, eu tenho saudades do que nunca tive. As coisas simples e mais que banais para a maioria dos meus amigos, como poder gritar paaaaai naqueles momentos em que a minha mãe não ouvia o meu chamado. Mas não, nunca sequer o pude fazer.

Num momento de aflição era (e é) sempre pela minha mãe ou pelos meus avós quem chamo. Não tenho nenhum tipo de desgosto acerca desta situação na minha vida. Não posso dizer que tenho desgosto do que nunca tive. Mas é normal ter saudades. E isso acontece-me várias vezes. E acontecia mesmo muito nos tempos de escola. Os meus amigos tinham mais medo do pai do que da mãe nos recados na caderneta, os meus amigos não sabiam de quem gostavam mais, pai ou mãe,mas eu sabia. E isso era estranho.

 Adoro ouvir - seja quem for - falar da sua família. Não por não gostar da minha, gosto e muito, mas sei perfeitamente que tenho uma grande falha na minha vida. A falta de um pai. A minha mãe e o meu pai. Aquela pessoa que faz muita falta a um filho. E faz. Faz, mesmo. Eu sou a pessoa que sente isso na pele. Eu não tenho um pai presente, também nunca o tive. E isso deixa saudades. As saudades que eu tenho de ter um pai. Não choro por isso. Tenho uma mãe leoa, uma avó leoa e um avó leão. Mas não me digam que não me faltou um pai na minha educação - faltou sim. A ideia da família como a conhecemos  - pai e mãe.

Há um lado bem vincado na minha vida que se prende com esse fato. Eu tenho saudades do meu pai. Eu tenho saudades das vezes que o meu pai me poderia ter ralhado, tenho saudades das vezes em que o meu pai me poderia ter ido buscar à discoteca, tenho saudades das vezes em que o meu pai se sentou comigo a ver televisão, tenho saudades de ver o meu pai e a minha mãe a prepararem-me festas de anos e a gabarem-me pelas minhas notas na escola. Essas saudades ninguém mas tira. 

Escrevo este texto sem qualquer emotividade, sem verter lágrimas, sem colorir quaisquer frases, mas somos feitos das nossas verdades. E uma das minhas verdades é que eu sou quem sou, também por ser...a filha dos pais separados. Com tudo o que isso possa significar.

4 comentários:

  1. O meu namorado também é assim Mia. São realidades diferentes, mas nem por isso menos felizes ;)

    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
  2. Bem-vinda ao clube! e também tinha 3 anos... :)) podemos sentir falta daquilo que nunca tivemos sim...

    bjinho e boa semana***

    ResponderEliminar
  3. Adorei o teu texto...eu não passei pelo mesmo que tu, então não posso sequer imaginar...abracinho *

    ResponderEliminar
  4. Ao contrário de ti, sou filha de pais que deviam ter sido separados. A vida com os dois não foi fácil. Mesmo vivendo com os dois, também tenho saudades do mesmo que tu, porque mesmo com Pai e Mãe juntos, também nunca o tive...
    (Tens um mimo no meu cantinho para ti).
    Beijinhos

    ResponderEliminar