quarta-feira, 11 de julho de 2012

O tempo do tempo quanto tempo tem?

Estou, constantemente, a pensar com os meus botões. A minha cabeça não pára um segundo que seja e, talvez por isso, tenha quantidades de ansiedade industriais para a idade pequena desta pessoa grande. E depois vai daí, esqueço aquela filosofia, começando logo a pensar mais e mais no que ainda é desconhecido. Na vida futura, no que ainda não tenho, no que gostaria de ter feito e não fiz, no que tenho para fazer hoje, amanhã e daqui a 4 meses, no que vou comer na próxima refeição e nas seguintes, nos resultados finais, no errado que fiz, no bem que fiz e ufa... canso mi'alma.

Para quê? Pergunto eu a mim mesma e a quem consiga responder. Não serve de nada. A vida corre a um ritmo alucinante que não nos deixa prever, planear, contrariar aquilo que, de facto, irá acontecer. O tempo é diferente para cada um de nós. Se um dia pode ser preenchido desde o amanhecer do Sol até ao anoitecer com diversas actividades que nos fazem felizes, outro dia no meio de outros tantos pode nos passar, totalmente, ao lado.
O tempo do tempo altera tanto, consoante a vida de cada um. Não fosse cada ser pertencer a uma dimensão diferente, fazendo com que, cada um de nós, tenha o seu mundinho. Portanto, o termo normal é, na minha opinião, uma mera utopia. Normal é sentir que a vida nos corre bem e que fazemos com ela o melhor que sabemos e podemos. Sem nunca parar de melhorar, sem nunca parar de aceitar e aprender.

E vamos, aos poucos, descobrindo os pontos chave desta sensação agradável que é, o auto-conhecimento. A partir do auto-conhecimento, que não mais parará, sentimos e encontramos algumas soluções para a nossa peculariedade individual. No meu caso e para esta ansiedade, uma das soluções para a amenizar é o exercício e o cuidado comigo. É saber isto e colocar em prática. E descobrir mais, mais e mais para conseguir uma boa estabilidade emocional com o meu mundo.

2 comentários:

  1. Eu já te disse isto Mia, mas tu escreves de forma verdadeiramente fantástica. Ler-te é um prazer :)

    Eu também sinto sempre que tenho dezenas ou centenas de pensamentos ao mesmo tempo e que o tempo escasseia por entre os meus dedos: se há dias que parecem intermináveis e consigo fazer tudo aquilo que quero, outros há em que parece que não fiz nada de útil ;)

    Beijinhos e tem um resto de um bom dia :)

    ResponderEliminar