quarta-feira, 20 de junho de 2012

Hoje

Hoje, secretamente, tenho sentido um grande e inexplicável aperto no peito. Comecei a sentir todo o meu corpo estranho antes do meio dia. E assim permaneci todo o dia. Basicamente estou sem sal, sem vontade de nada, angustiada e esquisita. Parece que algo não está bem na minha Vida e ao meu redor. E quando damos por nós a sentir/saber que algo não está bem, mesmo sem entender o quê, é algo assustador.
Tenho a certeza de que o Amor cura as pessoas. Apenas e só - o Amor. O Amor é a maior energia que se pode sentir, o maior milagre, a maior e mais forte bênção. É o Amor próprio, é o Amor pela nossa preciosa família, é o Amor por aquelas pessoas que não pertencendo ao nosso sangue consideramos nossos irmãos, é o Amor cheio pelo nosso alguém, é o Amor tudo pelos animais... É o Amor simplesmente, Amor! E quando deixamos de sentir Amor, nem que seja por um ínfimo minuto, o nosso coração fica seco e a nossa alma sem cor. Hoje, tive o dia todo sem sentir Amor. Foi isto que se passou, é isto que me fez acender o candeeiro e começar a escrever aqui. Passei o dia sem esse sentimento, sem conseguir esboçar sorrisos, gargalhadas ou ter alguma conversa dedicada. O que me assusta mais que tudo - deixar de sentir amor - assusta-me tremendamente. Talvez tenha sido algum sintoma físico, como cansaço, saturação desta área em que trabalho, não sei, certo é que não senti Amor hoje. Que medo. E afirmo isto, com tanta tristeza. Devemos e estamos cá para sentir a força do Amor, todos os dias, a cada momento. Dedicarmos tempo, atenção, perdão, aceitação, tratar, cuidar e amar. E nem sempre é fácil sentir para o fazer. Sentir é forte de mais. E não sentimos, sempre, o que tem de ser.

 

E eu não gosto desta sensação, por isso, liguei o computador para ficar menos sozinha neste quarto e neste meu mundo. Coloquei esta música a tocar, destoando da habitual bossa nova que, repetidamente, costumo ouvir, apenas para sentir que sim, a Vida é a melhor coisa que Deus nos deu. A vida e o seu, vasto e infinito, conjunto de possibilidades para que, aquando destes dias, possamos entender a mensagem que temos escrita no peito -  algo tem de ser mudado, por isso e quando assim o é, apenas nos resta baralhar todas as cartas de novo e começar a jogar novamente.

4 comentários:

  1. E um dia quando a vida der as cartas, vais ter a "mão" certa, o parceiro certo, no jogo certo, e vai correr tudo bem.

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  2. Baralhar todas as cartas de novo e começar a jogar novamente. É uma frase fantástica Mia ;) Eu costumo dizer 'Amanhã vai ser melhor', mas não é tão poética como a tua frase :)

    Há dias em que nos sentimos assim, como se estivéssemos vazios de sentimentos bons. Como se não conseguíssemos ver nada de bom no nosso futuro. Mas depois, o amanhã chega. E espero que o amanhã que chegou te tenha trazido mais alegria e mais esperança ;)

    Muitos beijinhos :)

    P.S: Desculpa o artigo, mas quero reiterar que não precisamos propriamente de outra pessoa para ter sexo :P Não é tão bom, certo, mas libertas endorfinas e oxitocinas na mesma :P

    ResponderEliminar
  3. ola Mia, respondi-te no meu blog (em relação ao estágio, se quiseres falamos por mail...é que já toda gente no meu departamento já descobriu o meu blog por isso tenho evitado ao máximo falar sobre o que quer que seja em relação a isso lá...) :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai que menina contadeira que me saiste, jo!:p Assim não podes desenvolver mesmo esse tema, mas quando quiseres manda mail, querida. Sempre que precises, estarei aqui! :) BESOS

      Eliminar