sexta-feira, 16 de março de 2012

Psicologicamente atrasada

Fui a um psicólogo esta semana. Os motivos que me levaram a recorrer a esta ajuda foram múltiplos, nomeadamente a minha consciência e a investigação em terreno da profissão para a qual, acho, ter apetência. Poderei afirmar que aliei a curiosidade à procura pela estabilidade e equilíbrio do meu ser.
Marquei para as 17:45h, visto ser o consultório, mesmo, ao lado do trabalho. Não podendo controlar as coisas, estive com um trabalho em mãos que me fez chegar à clínica, apenas às 18h. 
Assim que entrei, pedi, imediatamente, desculpas pelo atraso à senhora da recepção e perguntei se ainda dava para ter a consulta naquele dia. Ao longe avisto um rapaz alto a vir em direcção à porta de saída com uma mala típica de médico na mão. A senhora da recepção apressa-se a dizer-lhe: "Esta é a menina da consulta, doutor", ao que espontaneamente eu remato: "Doutor atrasei-me um bocadinho, peço imensa desculpa mas tive um trabalho imprevisto à última hora". O senhor psicólogo revirou-me os olhos com uma cara fechada e dispara: "está um bocadinho atrasada não, está meia hora atrasada e as coisas não são assim, existem compromissos". Eu fiquei incrédula, pois utilizou toda a arrogância que tinha guardada em si para aquele momento. De imediato, respondi que poderíamos marcar a consulta para outro dia e ele, foi mais longe e disse que não, iríamos sim era encurtar a boa da consulta. Fiquei em choque. Eu iria pagar a consulta completa mas não iria usufruir do seu tempo completo.
Escusado será dizer que lhe demonstrei o meu desagrado. E quase que pedi o livro de reclamações. Ele acabou por desabafar comigo que estava cansado da semana e que descarregou em mim. Pediu desculpa. Tudo bem, mas eu já não 'entrei' bem com o senhor e nem ele comigo, creio. Deste modo, não gostei grande coisa da bendita consulta.
Vou mais longe... Confesso que acho as consultas de psicologia excessivamente caras para um tratamento tão moroso.. poucas são as pessoas que têm poder financeiro para levar um tratamento psicológico avante.

No fim da consulta, disse-me, também, que não me eram dadas garantias que as consultas levassem a algum lado, sem eu, tampouco pedir garantia alguma. Não me contive e questionei se ele acreditara na psicologia - 'Sim, se não, não estaria aqui".

Acabei por ser eu, a tratar do senhor psicólogo (?). Estou completamente abismada e, largamente desiludida com a psicologia. E vocês? Acreditam? Já recorrem? Quanto tempo?

6 comentários:

  1. eu estou a ser acompanhada por uma psicóloga e por um psiquiatra (oh pra mim, maluquinha). A senhora, adoro-a e ajuda-me muito... já ele, não o posso ver.

    ResponderEliminar
  2. Eu fui acompanhada por uma Psicóloga até aos meus 12 aninhos, por motivos diferentes dos teus, suponho. Mas provavelmente só te saiu uma besta como primeiro Psicólogo :/ E claro que ele não pode garantir-te prazos ou melhorias, visto que a vontade para isto ou aquilo depende, essencialmente, de ti ;)

    Abraço***

    ResponderEliminar
  3. Tiveste azar com o que te calhou, acredito que deve de haver outros melhores...por acaso nunca fui a um psicologo e até posso dizer que tinha muitas razões durante a minha adolescência para ir mas é mesmo como dizes, é um processo demasiado caro e não é para qualquer carteira. Acredito que quem realmente precisa não vai porque não tem como pagar...mas enfim!

    Bjinho

    ResponderEliminar
  4. Mia fiquei abismada com a recepção que tiveste nesse consultório. principalmente tratando-se de uma área tão sensível como a psicologia, onde é suposto estares descontraída, confiante e disponível para falares abertamente sobre tudo. Não imagino como deverá ter sido a consulta após essa desagradável recepção.:(

    Nunca recorri a nenhuma consulta mas confesso que em determinada altura o deveria ter feito.

    Boa sorte!

    ResponderEliminar
  5. Mia, fiz psicoterapia perto de 3 anos (4?).
    Foram rios de dinheiro que a minha "mãe" gastou comigo! Mas foi muito importante. A profissional que me acompanhou fez milagres... houve empatia e isso foi meio caminho andado!
    Não desistas, mas procura alguém que te referenciem. Se fosse no Porto dava-te uma ajudinha!
    Beijocas

    ResponderEliminar
  6. Mia, não posso deixar de comentar, pois sou Psicóloga. Talvez o sr. estivesse mesmo a passar por um dia mau, não sei. O que te sugiro é o seguinte: se tomaste a decisão de ir a um psicólogo, se sentes essa necessidade, não desistas por causa de uma má experiência. Pensa que há bons e maus profissionais em todas as profissões (e que todos temos dias melhores e piores). Por exemplo, imagina que num ano tinhas um prof que te fazia adorar o inglês e no ano seguinte tinhas outro prof que te fazia odiar as aulas. O problema não era a disciplina mas o prof. E de certo haveria sempre um ou outro aluno a gostar dele. Espero que percebas a lógica da analogia.
    Um dos aspectos mais importantes é a relação terapêutica. Assim, é importante que te sintas bem nas sessões, que aquele momento faça sentido. Poderás dar "outra oportunidade" a esse sr ou, se preferires, recorre a outro profissional com quem te sintas mais confortável. Podes mesmo perceber quais as tabelas de preços aí na zona (tens todo o direito de te informar).
    ;) força. qualquer questão, estou à disposição

    ResponderEliminar