sábado, 7 de janeiro de 2012

Present to you my mummy

a minha mãe é bombeira. é viciada em trabalho. ama o que faz. nos poucos e raros dias de folga que tem, faz serviços de urgência. é lutadora, é persistente, é notável a sua dedicação aos outros. A minha mãe foi e é pai e mãe. Os meus pais são separados e ela sempre foi pai e mãe. Trabalhou em cafés desde muito cedo, cuidou de crianças, trabalhou no campo and so on. A minha mãe ao fim de muito tempo, descobriu, faz mais de uma década, aquilo que adora fazer - socorrer e ajudar as pessoas. Já salvou vidas. Inclusive a do meu avô. Acho muito bonita a sua dedicação ao trabalho. A minha mãe tem 41 anos. É linda. Super gira mesmo. Cheia de energia e vitalidade. Dedicada à família a 300%. É o meu amor maior. Um dos meus amores maiores. Ou talvez mesmo o maior desses amores maiores. Deu-me vida e dá-me vida estar com ela. Está - devido ao seu trabalho, aos seus turnos, noites mal dormidas e nervos - absolutamente com a doença do século, o stress. discutimos muito pela vida atropelada que ela leva. tenho medo, sabem. mas isto fá-la feliz. Ela adora o que faz. 

Quero ser como ela.

5 comentários:

  1. Uma linda homenagem.
    Ela merece-a, de certeza. :)

    ResponderEliminar
  2. "Ela adora o que faz..." a minha mãe também está sempre a dizer que adoro o que faz, e acredita que sonho ser como ela. E há-de chegar o dia em que vou adorar o que faço.

    ResponderEliminar
  3. Simplicio - Sim merece. E bem mais, muito mais.

    ML - Tu já adoraste, não já? ;) Pensa nisso...E enquanto não temos o que queremos, vamos fazendo o que podemos e sendo felizes com o que temos.

    ResponderEliminar
  4. Muito bonito o que escreveste Mia (: talvez devesses dizer-lho.

    Eu e a minha mãe sempre discutimos, talvez porque eu fui uma adolescente altamente insuportável, mas cresci e ela também aprendeu a crescer comigo, a deixar-me crescer e principalmente a ensinar-me a crescer. Conhece-me melhor que ninguém, adivinha todos os meus estados de espírito e foi o meu maior apoio num dos períodos mais difíceis de sempre. Não foi fácil deixá-la "entrar", mas fez-me e continua a fazer-me muito bem. E nem sequer é a "minha melhor amiga", é "só" minha mãe (:

    **

    ResponderEliminar
  5. Também funcionei um pouco assim com ela. :) Beijinho

    ResponderEliminar