terça-feira, 10 de janeiro de 2012

modo: desespero

Confesso que estou desesperada. pronto. não há optimista que aguente esta receita infalível - valentes doses de notícias de crise, desemprego e uma pitada de não saber o que fazer à vida. a conversa de que sou nova e irei encontrar, mais tarde ou mais cedo, também já não reverte a meu favor, porque é agora. se não for agora, quando será? tem de ser agora que sou nova, tenho alguma imagem e a licenciatura na gaveta há um ano e tal. Se não for agora, quando será? estou desesperada, confesso. não consigo pensar com cabeça, tronco e membros. tenho que reverter isto. de nada me serve mais estar em casa feita sonsa. tenho que ir. tenho mesmo que ir. já sei o verbo a usar - ir. mas vou para aonde com 200 euros na mão? faço o quê? 

Desculpem se vos passei más energias, mas deste lado estamos com o coração nas mãos. tenho a minha vida nas mãos, não sei o que lhe fazer...

7 comentários:

  1. Respira fundo, pensa positivo e vais ver que atrais boas energias Mia.

    Mereces que tudo te corra bem, e vai correr! :)

    De que zona do país és Mia?

    ResponderEliminar
  2. Onde vives Mia?
    só mais uma coisa, nao tenho acesso ao diario de bordo do amor.. posso ter?

    ResponderEliminar
  3. Respirar, reinventar-me.. têm todas razão. Ainda não senti do modo desespero totalmente. parece que tudo ajuda à festa que se instalou. :S

    Sou do Alentejo. Procuro por todo o país, se bem que hesite muito para o Norte, visto que para ir a entrevistas é mt complicado, mt mais longe. Lisboa, Algarve, Beja, e por aí fora...

    O outro meu blogue? isso vê-se? ah pensei que não, querida Inês aquilo era mesmo um blogue só para descarregue de emoções (apaixonei-me.. e dps veio o bom do primeiro desgosto amoroso que me tirou até a fome!lol) mas funciona apenas como um diário sem ser em papel, sem seguidores querida, só meu. E agora já nem escrevo lá.. Quase nada. :-)

    Beijinho, obrigada pelo apoio queridas!

    ResponderEliminar
  4. Uhm.. Também sou "Alentejana" e já passei o mesmo que tu estás a passar agora, não é fácil, ainda para mais quando somos pessoas que não gostam de ser dependentes, e percebo.te quando dizes que não queres pagar para trabalhar, a mim também me diziam para ir para Lisboa, porque lá tinha muito mais oportunidades, eu também sabia isso, mas ia para lá sem trabalho?! ou ia para lá trabalhar e ganhar 500euros, quando uma casa não nos fica a menos de 200€, a viver com gente que não conheço, mais despesas da casa, mais comida, mais viagens(porque eu não passaria mais de 2semanas sem vir ao Alentejo) mais transportes para andar dentro de Lisboa, o que me iria sobrar no final do mês? Provavelmente ainda a minha mãe teria de me dar dinheiro! É complicado, mas vais encontrar algo:) Não percas a esperança, e não vejas muito telejornal, porque é desanimador para caraças!

    ResponderEliminar
  5. Olá ritinha!
    És do Alentejo? Humm, muito bem. E depois conseguiste trabalhito n foi? :-) Cidade ou aldeia? Obrigada pela força,*

    ResponderEliminar