quarta-feira, 23 de novembro de 2011

O erro dos 22.

Será que poderei ser chamada de burra a vida inteira porque desperdicei a oportunidade da minha vida aos 22 anos?! Sim. Já falei disso aqui. Eram 3 meses os que eu tinha de casa. A multinacional em expansão era fabulosa e eu estava na pior fase. A da aprendizagem. Fui para fora, a muitos quilómetros da minha casa viver do meu trabalho. Isso enchia-me de orgulho. Mas... Há sempre um mas. Essa foi também a fase em que não me permiti aprender e dar tempo ao tempo. Optei por encher os pulmões e gritar que não poderia mais viver ali, longe de mim, e a fazer o que não gostava. A prática aperfeiçoa o engenho, eu é que não quis esperar. Tenho a consciência de que fui mimada, fugi para casa porque tinha 'as costas quentes'. É verdade, sim. Esta idade errante. Embora haja um segredo, e esse, quase ninguém sabe. Que eu mesma tento não revelar e que realmente pode ter influenciado, embora eu não acreditasse. Eu tinha o amor à minha espera. Pensava eu. Despedi-me e vim morar para casa, mais perto dele. Passadas poucas semanas, ele deixou-me. Disse que já não sentia o mesmo por mim. Fui ao fundo. Sem o meu amor e, também agora, sem a minha independência. E eu que sempre associei a felicidade a isso. Viver do meu trabalho, ter a minha casa, proporcionar momentos felizes à minha família, dizer-lhes se precisam de dinheiro, oferecer. Dar o descanso que a minha mãe merece, porque é bombeira e trabalha como escrava. Depois de me 'levantar' dessa queda, a fim de um mês ou menos, arranjei logo trabalho no verão, servir ao balcão. Mais tarde fiz campanhas para um banco muito conhecido. É esse dinheiro que tenho tentado poupar, ainda tenho. Agora aguardo uma nova oportunidade, aquela que quero agarrar com unhas e dentes, talvez a que virá no momento certo. Estarei mais madura para a agarrar, saberei ter a força matriz que me fará envolver no projecto com afinco e lealdade. Sofrer é aprender. Eu acredito que sim. As coisas acontecem sempre no momento certo. Percebem agora porque tenho tanta gana em arranjar de novo a oportunidade? Porque quero provar a mim mesma que eu sou capaz. Formei-me na minha área e quero ser capaz de pôr em prática, aprender, projectar e cumprir os prazos. Este erro nem é contemplado no meu curriculum, não o conseguiria explicar.

E agora vou ali ao ginásio expulsar más vibrações e encher-me de good vibes.

2 comentários:

  1. desculpa a sinceridade Mia, mas com 22 anos? miúda, tens a vida toda pela frente! qual erro? queres que te confesse um segredo? quando fiz o meu erasmus noutro país, ao acabar o meu estágio fui convidada para lá ficar a trabalhar. abreviando (muito!) acabei por não aceitar (e quando regressei a Portugal arrependi-me) simplesmente porque me apaixonei por alguém quando tinha o meu namorado cá. pois é. complicações à parte, é só para te dizer que não vale a pena andares a martirizar-te. o trabalho vai chegar. não tarda estão a ligar-te para uma entrevista. e erros Mia? quem os não fez?...

    beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Obrigada pelo testemunho salto, acho que sinceramente nos faz crescer. Este post veio no surgimento de uma conversa com um ex professor meu, que me fez ver estas coisas. Do quão 'pequenina' ainda sou. Que tenho muito para crescer... É de todo verdade! Estou ansiosa para me dedicar com afinco a uma nova oportunidade! Nunca coloquei no curriculum essa experiência, apenas 3,4 meses, saiu porquê? Controller numa multinacional, porque saiu? É escusado expor-me. Beijinhos

    ResponderEliminar