segunda-feira, 17 de outubro de 2011

A [minha] verdade


Mais um dia, mais um dia em que não encontro sentido às coisas. Em que o amor da minha família me consola, em que o ajudar a minha avó me faz feliz. Eu não tenho trabalho. Eu não sei o que quero para a minha vida, com 23 anos. Até agora um curso. Um curso com uma vasta área (por isso o tirei, por ter várias saídas) mas que a taxa de empregabilidade é contabilidade, administração, financeiro, coisas que abomino, na minha área (Gestão) prefiro marketing, pessoas, adoro pessoas, banca, talvez pelo atendimento ao público. Eu hoje em dia, não sei o que quero. Quando era mais nova, ainda mais nova, eu sonhava ser jornalista,, psicóloga ou juíza (as letras, as pessoas, sempre as pessoas e a justiça), mas na hora da verdade eu preferi uma área com trabalho, 'não posso ir para jornalista, não há emprego, direito não dá pá, e psicóloga nem penses não dá). Pois..
Aos 18 não tinha descendimento suficiente para uma decisão que seria para a vida inteira: aquilo que eu me via a trabalhar sempre e sempre e sempre.
Hoje eu sei que fiz a escolha errada, por isso me mato a trabalhar em cafés, pastelarias e afins.
Neste momento, sei que a minha vida passa pela ajuda aos outros. Eu podia ter escolhido tudo, menos este curso. Nada e nada tem a ver comigo. E as pessoas cobram porque não tenho trabalho. Eu tive numa das melhores empresas em Portugal, eu despedi-me e fui trabalhar para um resort a servir meias de leite e galões. Sufoca-me pensar que os tempos mais lindos da minha vida foram gastos nisto. Eu sei. Sou nova, posso mudar. Eu sei que trataria de idosos, ajudaria psicologicamente, até enfermeira poderia ser. Menos isto! E agora..?! Dou voltas à minha cabeça.
Estou em casa. E eu parada não consigo estar.



Alimentação:
PA- 1 pão de centeio + mortadela de peru + leite choco soja
Almoço - Resto das púcaras com ovo mexido, poucas favas e salada (hummm)
Lanche - 1 Romã + iogurte baunilha + 1 bolacha tipo maria (Ai que delícia)
Lanche 2 - Maçã
Jantar - 1 posta de peixe cozida + cenoura e feijão verde

Tenho que comer a sopa que a minha avó fez, mas nem me tem apetecido, amanhã!

[ Escape bom do dia e essencial à minha sobrevivência- Corridas, braçadas no mar]

2 comentários:

  1. ola querida =)

    gostei de ler o teu post..é pura verdade..
    aqui por estas bandas também se têm um curso de informática e não arranjo nada..até para um part time num supermercado é preciso um perfil e pêras..em que país vivemos?mas enfim!

    mas que alimentação tão boa =) é assim mesmo!
    estiveste bem!!

    beijoo

    ResponderEliminar
  2. Eu também acho que aos 18 anos se é muito novo para se decidir o que se quer...
    Neste momento, só tu é que podes decidir o que queres fazer no futuro. Custa ir atrás dos sonhos, mas isso é melhor do que acordar aos 40 anos, olhar para trás e pensar que aos 23 ainda se podia fazer alguma coisa.
    Beijos grandes

    ResponderEliminar