sábado, 29 de outubro de 2011

Cada pessoa com a sua vida

São tudo poucas energias e más as que tenho neste momento. Quem disse que era fácil?! Só passando pela perda de alguém-vida é que se sabe do que falo e do que sinto e mesmo assim... a dor é um sentimento único e cada pessoa sente de forma diferente. Neste momento sinto-a de forma explícita como se do fim do mundo se tratasse. Normalmente sob a forma de revolta, de odiar este mundo cruel, de querer gritar, espernear e chorar desesperadamente como se de uma faca espetada directamente no meu coração se tratasse. 
Apetece-me raramente sorrir, agora já como mas alimento-me mal, muito mal, penso com medo no regresso à vida. Como será que é viver? Como será que as pessoas normais pensam? E falam? E sentem?
Há pouco um amigo meu ligou-me para saber como estou. Começou a relatar os seus problemas amorosos. Eu que já sofri tanto por amor, achei tudo aquilo tão "menor", tão "corriqueiro" que só conseguia dizer, pois.
E em cada recomeço, e num recomeço destes, eu sinto-me fria com a vida.

1 comentário:

  1. lamento saber-te assim e embora te possa custar a acreditar aqui vai:

    o tempo cura tudo. parace uma frase feita mas não é. chora o que tiveres que chorar, não sorrias se não te apetece, deixa a tua tristeza fluir, não lhe resistas. a seu tempo, ela sairá do teu corpo, do teu pensamento...e não te deixará mais fria, não. deixar-te-á mais forte. tudo passa, e isto, querida Mia, também passará. descansa.

    ResponderEliminar